Vidas (não) descartáveis!


Qual o valor de uma criança, de um bebê? Qual o valor de uma criança para o pai ou a mãe? Geralmente a resposta dos pais é simples: incalculável. Mesmo assim, vemos pais colocando filhos à venda. Nos últimos dias fomos novamente surpreendidos com os pais oferecendo o bebê de apenas dez dias num site de classificados. Dava até garantia de que era saudável e era um ótimo investimento. O valor era a combinar – seria incalculável?

Notícias como estas nos chocam e revoltam. Pois é um absurdo inadmissível alguém usar seu próprio filho indefeso como mercadoria de troca. Infelizmente, atitudes deste tipo, com ou sem valor pré-fixado, são notícias de tempo em tempo. Para alguns, assim como as coisas, a vida humana é descartável.

Entretanto, se a pergunta inicial fosse diferente: Quanto vale a vida de um adulto? Qual o valor de um idoso para um filho ou filha? A resposta ainda seria a mesma? É preciso reconhecer: nem sempre. Em alguns momentos há vidas que chegamos a pensar em como seria bom podermos descartá-las. Como, por exemplo, a de pais que tentam negociar filhos.

Nestes momentos é que precisamos olhar para nosso maravilhoso Deus. Ele não descarta ninguém e toda vida tem um valor que não pode ser calculado em números. Para Ele cada vida vale muito mais do que todo o ouro e prata do mundo juntos. Ele pagou o preço do resgate: “o preço que foi pago para livrá-los da vida inútil que herdaram dos seus antepassados. Esse preço não foi uma coisa que perde o seu valor como o ouro ou a prata. Vocês foram libertados pelo precioso sangue de Cristo, que era como um cordeiro sem defeito nem mancha.” (1 Pedro 1.18,19)

As nossas vidas que eram descartáveis ganharam valor eterno em Cristo, nascemos de novo como “filhos de um Pai que é imortal”. Mas isto custou ao Pai oferecer seu Filho, não num anúncio de classificados, mas no alto da cruz; não em troca de dinheiro fácil mas para sofrer “dores e sofrimentos sem fim” em nosso lugar. Mas o Filho estava consciente e não foi forçado, pelo contrário, se ofereceu voluntariamente como resgate da humanidade descartável. Agora somos “cartas marcadas” pelo sangue de Jesus destinadas à eternidade.

É preciso continuar lutando para que cada ser humano dê o devido valor a cada vida humana. E só aprendemos seu real valor quando nos sentamos no colo de Deus e vemos o valor que Ele dá a cada ser humano!

            Joelson R. Drehmer (Pastor da IELB)

e-mail: joelsonrd@yahoo.com.br